Psicólogos explicam por que ajudar as pessoas é a forma mais rápida de encontrar a felicidade

Nos dias atuais, muita gente lida com as dificuldades de um dia comum se entregando e “dando um tempo”. Esse tipo de atitude é, inclusive, vista com bons olhos, já que, depois de algum tempo “fora do ar”, a pessoa pode voltar com mais disposição para se recuperar das situações incômodas.

Só que um estudo da área de Psicologia publicado há não muito tempo vai contra essa ideia e apresenta uma maneira diferente de lidar com os dissabores de um dia ruim. Acompanhar com atenção os resultados dessa pesquisa pode proporcionar a você uma poderosa ferramenta para lidar com esse tipo de situação.

A equipe do Incrível.club quer fazer seus dias mais… incríveis! E não só os dias comuns, mas também aqueles em que você levanta com o pé esquerdo. Por isso, mostraremos neste post uma maneira de fazer, ao mesmo tempo, você e outras pessoas felizes.

Esqueça os chocolates e o cinema com os amigos

Você demorou para entregar aquele relatório supercomplicado, discutiu com seu namorado por algo absolutamente sem importância e, para piorar, em sua casa havia uma enorme goteira. Seja qual for a situação, quando conta com uma amiga de verdade para as pequenas desgraças de sua vida, é provável que ela diga algo do tipo “Fique tranquila! Te levo ao cinema no final de semana” ou “vou já para a sua casa e levo uns chocolates, ok?” Claro que gestos assim são importantes e nunca devem ser desprezados. Mas tenha em mente que a alegria durará até o fim do filme ou do último pedaço de chocolate.

A descoberta de que a generosidade traz felicidade

Um grupo de pesquisadores liderado pela doutora Katherine Nelson, psicóloga da Universidade do Sul, no Estado do Tennessee, Estados Unidos, decidiu avaliar se havia algum respaldo científico na ideia de que concentrar-se apenas na própria vida e nas próprias conquistas traz mais felicidade e saúde emocional a uma pessoa do que se dedicar a ajudar o próximo. O trabalho revelou que as pessoas que costumam pensar mais em si mesmas não costumam sentir mais emoções positivas. As que costumam se sentir realizadas emocionalmente são aquelas que se preocupam constantemente em ajudar aqueles que precisam.

O que a pesquisa descobriu

Ao todo, o estudo contou com 473 voluntários, que se dividiram em grupos. Uma parte dos integrantes foi orientada a realizar alguma boa ação, qualquer que fosse. Podia ser, por exemplo, recolher lixo das ruas, plantar uma árvore ou fazer algo simples e útil, como ajudar um parente com uma tarefa. O outro grupo deveria realizar ações com características mais individualistas, como sair de férias. Por fim, um terceiro grupo deveria seguir a vida que já levava, sem mudar nada. Após um determinado período, os participantes tiveram de responder um questionário sobre suas condições psicológicas e sociais. E as respostas foram reveladoras.

Ajudar o próximo nos faz felizes

Todos os voluntários que haviam se comprometido com tarefas nas quais se esqueciam por um momento de si mesmos, seja ajudando pessoas necessitadas, realizando algum tipo de ação para preservar o meio ambiente ou até mesmo realizando tarefas simples, mas com características de desprendimento e altruísmo, disseram sentir uma melhora em seu estado de ânimo. Por outro lado, aqueles que realizaram tarefas de caráter mais individualista e os que seguiram suas rotinas diárias normais não mostraram qualquer melhora em seu estado de ânimo.

O paradoxo da felicidade: a maneira mais fácil de ser feliz é fazer os outros felizes

“As pessoas que lutam pela felicidade podem, muitas vezes, se sentir tentadas a agradar a si mesmas”, explica a Dra. Nelson. “No entanto, os resultados de nossas pesquisas mostram que podem ter mais sucesso nessa busca quando resolvem ajudar outras pessoas”. Outras pesquisas já haviam chegado a um mesmo resultado, desafiando o senso comum de que focar em si mesmo é um bom método para melhorar o próprio estado de espírito. Mas o que estaria por trás desse aparente paradoxo? A resposta está em uma substância química elementar em nosso cérebro.

Bem-vinda, dopamina!

Ajudar as pessoas ou praticar qualquer tipo de ato de bondade estimula o cérebro a liberar dopamina, um neurotransmissor que nos faz sentir felicidade e, dependendo da situação, até mesmo euforia. Em outras palavras, essa substância é uma espécie de droga da felicidade e totalmente natural, produzida por nosso próprio corpo. Comer chocolate, como muita gente deve saber, também libera dopamina, mas não é capaz de apagar as emoções negativas. Os gestos de generosidade, por sua vez, liberam uma dose generosa de dopamina e ainda reduzem as emoções negativas, prolongando qualquer momento de felicidade.

Que outros meios você acredita que podem ajudar a melhorar nosso ânimo? Conte para nós na seção de comentários!

Imagem de capa madsmith33 / Pixabay

↓ Imprensa «Like» e obter os melhores posts no Facebook ↓

Psicólogos explicam por que ajudar as pessoas é a forma mais rápida de encontrar a felicidade